segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

RDPi - o fim da onda curta





O programa "Em nome do Ouvinte" desta semana voltou a mencionar a situação das transmissões em onda curta. Desta vez, a actual Provedora, mencionou alguns factos, aflorou algumas questões, referiu que pretende continuar a investigar...
Mas, na realidade, a janela temporal em que se poderia ter feito algo para inverter o processo de eliminação do CEOC está encerrada, ou quase.
No entanto, não deixei de enviar um e-mail à Srª Provedora (através de uma página web, no site da RTP, preparada para o efeito e redutora nas limitações impostas...) adicionando alguma informação sobre a Rádio Deutsche Welle - mencionada no programa - assim como (mais uma vez, como outros interessados na Rádio em Portugal e no mundo que fala Português) levantando perguntas que exigem resposta cabal das "entidades competentes".

Reproduzo, em seguida, o texto do e-mail enviado à Srª Provedora do Ouvinte:

"Escutei, com o interesse de sempre, o seu programa desta semana, em que se referiu ao término das emissões em onda curta da RDPi, tal como já os seus antecessores o fizeram. Não penso que seja possível - pelo menos com as ideias da actual administração - impedir que o CEOC seja desmantelado. Não deixa,no entanto, de ser interessante levantar algumas questões sobre o
assunto, como, por exemplo, qual o destino dos equipamentos? Qual o destino dos terrenos?
A Sra. Provedora, refere, entre outros exemplos, o caso da Deutsche Welle, que terminou as emissões em onda curta, para a Europa...mas, a DW continua a transmitir mais de 50 horas por dia, em onda curta, para outros destinos, assim como, as empresas que exploram os centro emissores alugam os mesmos para muitas outras organizações. E certamente não será necessário lembrar a
situação geográfica privilegiada do CEOC. Ou ainda que dos potenciais ouvintes
da RDPi, talvez apenas um terço (se tanto)tenha acesso às emissões por satélite ou via internet.
Parabéns pelo seu programa, mas, pf, investigue mais a fundo, as questões relacionadas com a onda curta. Se desejar veja o seguinte link:  http://www.unesco.org/new/en/communication-and-information/events/prizes-and-celebrations/celebrations/world-radio-day/shortwave-radio/shortwave-article/ "



Relembro, apenas, outra vez, que, ainda que as transmissões em onda curta podem ser escutadas com um quase vulgar aparelho de rádio, acessível a muito mais pessoas, do que uma antena parabólica de 3m (3 metros...) de diâmetro, indispensável em muitos locais, para recepcionar a RDPi via satélite.
Quanto ao stream online penso que ninguém será ingénuo ao ponto de o comparar - em termos de quantidade e possibilidade de acesso - com a onda curta...



Sem comentários:

Enviar um comentário